Entre em contato conosco

Automobilismo

Leclerc crava a pole em um GP da Espanha que promete muito

Publicado:

em

Compartilhe esta publicação

 

Os leitores desta coluna irão recordar de um artigo que fiz sobre a pressão em cima de Charles Leclerc. Pela primeira vez em sua carreira, o monegasco tem um carro competitivo com possibilidade de levar o campeonato. A Ferrari não vê o título desde 2007. Ele próprio jogou um pódio certo no lixo na Emilia-Romagna ao perseguir Sérgio Perez de maneira afobada em busca da segunda colocação. E para completar o combo, o rival na luta pelo título, Max Verstappen, venceu as últimas duas corridas.

Pois bem, a resposta de Leclerc neste GP da Espanha teria de ser dada em dois atos. O primeiro já foi. E após um erro bizarro no Q3, ele se recuperou e cravou a pole position com uma volta sensacional. Com um tempo de 1min18s750, o monegasco colocou a Ferrari na primeira fila ao lado da Red Bull com Max Verstappen, que fez 1min19s073. Além de largar na frente do rival, deu a volta por cima depois de errar em um momento crucial. Resultado importantíssimo.

Para Max Verstappen e a Red Bull, sinal amarelo. O atual campeão liderou o Q2 e parecia ter a faca e o queijo na mão para garantir a sua 15ª pole da carreira, mas na última tentativa de superar o tempo de Charles Leclerc no Q3, seu carro perdeu potência e ficou sem a possibilidade de ativar o DRS. Menos mal que Carlos Sainz e George Russell não melhoraram em suas respectivas voltas e o holandês largará em segundo. Mas o treino classificatório de hoje foi mais um episódio na temporada em que o carro da Red Bull peca em confiabilidade.

Em clara evolução após atualizações nos carros, a Mercedes foi ao Q3 com Lewis Hamilton e George Russell. Ainda andando atrás de Ferrari e Red Bull, os dois pilotos chegaram a liderar o treino no Q2 – algo inédito na temporada se for considerado apenas o treino classificatório. No final, Russel ficou em quarto e Hamilton larga na sexta posição. As flechas prateadas podem sonhar com um pódio e a depender dos acontecimentos na corrida, quem sabe a primeira vitória na temporada pode acontecer.

Por qual razão a Mercedes pode triunfar? Simples: a pista de Barcelona expõe o calcanhar de Aquiles das duas melhores equipes na temporada. No caso da Ferrari, o desgaste de pneu atrapalhou Leclerc na Sprint da Emilia-Romagna e alijou as suas chances de se aproximar de Verstappen em Miami. É notório que o traçado catalão consome muito pneu, algo a ser observado pelo time de Maranello. Já a Red Bull teve mais um problema com Verstappen e a confiabilidade do carro fica em dúvida outra vez. Com uma boa estratégia e sorte, quem sabe a Mercedes possa triunfar em um GP vencido por Hamilton nas últimas cinco edições.

A Fórmula 1 versão 2022 é uma montanha-russa: Kevin Magnussen e Mick Schumacher colocaram a Haas no Q3. Quem poderia imaginar uma coisa dessas no ano passado? Além dessa agradável surpresa, Daniel Ricciardo andou bem e ficou com o sétimo tempo depois largar em P14 no GP de Miami. Não dá para cravar nada em uma temporada recheada de imponderáveis.

Como destaque negativo, temos Fernando Alonso e Sebastian Vettel. Juntos, eles contabilizam seis títulos mundiais. Pois bem, ambos não passaram do Q1. Pior para o bicampeão, que corria em casa e esperava mais da sua Alpine. Já Vettel guiava uma Aston Martin com atualizações que renderam uma polêmica pela semelhança visual com o carro da Red Bull. Tanto ele quanto Lance Stroll – seu companheiro de equipe – ficaram já no Q1.

A expectativa para a corrida é alta. Leclerc lidou bem com a pressão e cravou uma pole importante. Terá a companhia de Verstappen na primeira fila – ambos duelam pelo campeonato. Correndo em casa e precisando mostrar serviço, Sainz fará de tudo para ir bem. Além disso, olho na Mercedes. O carro evoluiu e seus pilotos parecem rápidos nesse circuito. Em um GP tradicionalmente desprovido de grandes emoções, a corrida de amanhã parece nos reservar capítulos eletrizantes. Não há nada resolvido nessa nova F1, e quando até esse circuito de Barcelona pode trazer gratas surpresas, a tendência de um campeonato emocionante parece ser confirmada.

Veremos como as coisas acontecem. No treino classificatório, deu Leclerc.

Compartilhe esta publicação
Clique para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.