Entre em contato conosco

Brasileirão

O fim de uma era!

Publicado:

em

Renato Portaluppi.
Compartilhe esta publicação

É difícil demais dizer adeus ao nosso maior ídolo, o homem gol, o cara que nos levou a tantas glórias tanto como jogador e agora como treinador o maior da história o maior de todos os tempos com a camisa azul, preta e branca apenas Renato Portaluppi. Porém todo o ciclo tem início, meio e fim e esse parece ter acabado faz tempo e ninguém tem coragem de oficializar o até logo, que é extremamente necessário para ambas às partes, tanto Grêmio quanto Renato Portaluppi. 

Chegou a hora de reformular, começar a construir outra história, a zerar o jogo e diga-se de passagem um jogo muito vitorioso, um jogo onde Renato sempre honrou e defendeu o clube, protegeu como poucos o seu grupo, sua direção e seus torcedores. Mas todo processo longo causa desgaste, causa cansaço, dores entre outras situações que vou tentar expressar em palavras e sem nenhuma ofensa, pois falar de Renato Portaluppi tem que ser com leveza com gratidão com amor e com orgulho pois é o maior de toda história vitoriosa do maior clube do Rio Grande do Sul. 

Quando Renato assumiu em 2016 ele devolveu o orgulho ao torcedor gremista, fez de um grupo bom, um grupo vencedor. Foi campeão da Copa do Brasil, Libertadores do ano seguinte, Recopa 2018 e tri campeão gaúcho e sempre chegando nas competições e no G4 do campeonato brasileiro, mas 2019 e 2020 me deixaram com a sensação de um Renato cansado sem motivação, sem vontade de seguir no RS e querendo ir descansar no RJ de tanto ama, perto de sua filha.

Também fico pensando na insistência com alguns atletas, tais como André, Paulo Victor, Michel, Galhardo, Rômulo, Thaciano, Bruno Cortez, Bressan, Robinho, Everton Cardoso, Luiz Fernando,  Thiago Neves,  ao invés de explorar outros tantos garotos da base, contratar sempre veteranos apostando que vão dar certo e de 10 tu acha 1 Diego Souza, ou 1 Lucas Barrios é difícil é complicado. Sem falar no esquema tático que é o mesmo desde que chegou no clube o 4 – 2 – 3 – 1 sem variação tática alguma, todos sabem como anular o jogo do Grêmio que por muitas vezes foi, toca no Luan que ele resolve, depois mudou para toca no Cebolinha que ele resolve e ai mudou novamente tocando para o Pepê resolver e ai não deu certo.

Precisamos de gente que use mais a base e contrate jogadores pontuais, não precisa gastar muito, mas precisa de peças pontuais e usar corretamente os garotos, tem moleque com 22, 23 anos parado no time de transição muito melhor que vários do profissional e porque não é utilizado?

Sem falar no discurso que é sempre mais do mesmo, “confio no meu grupo” ou “erros de arbitragem” ou “jogando a culpa na imprensa” ou tapando o sol com a peneira e tem quem compre ainda tudo isso e não enxergue que o fim chegou e que por isso é hora de dizer até logo, Renato Portaluppi eu te amo mas pelo bem de todos e de você mesmo depois da final da Copa do Brasil, pede pra sair, vai descansar vai curtir o RJ e daqui um tempo tu volta o Grêmio sempre vai te receber tua gente aqui te ama, mas ciclos são ciclos e esse chegou ao final para o bem de todos.

Compartilhe esta publicação
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Carta aberta ao Sr. Romildo Bolzan Jr. - Vai Que To Te Vendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *