Entre em contato conosco

Champions

Do adutor ao metatarso! Por quê Neymar se machuca tanto?

Publicado:

em

Neymar machucado

Neymar está novamente fora de uma fase importante da UEFA Champions League, mas por quê isso acontece tanto? Nós, vamos explicar nos próximos paragráfos.

Compartilhe esta publicação

O brasileiro de 29 anos perde mais uma vez a fase de mata-mata da UEFA Champions League pelo clube francês

10 de Fevereiro de 2021, data de mais uma lesão de Neymar pelo Paris Saint-Germain, dessa vez o camisa 10 teve uma fratura no adutor, após consecutivas entradas fortes de Yago no duelo entre PSG x Caen pelo 32 avos da Copa da França. Ficando novamente de fora do mata-mata da UEFA Champions League, dessa vez, contra o seu ex-clube: Barcelona.

Mas, por que o craque brasileiro começou a ter tantas lesões nos últimos anos? Segue o texto alguns motivos que acarretaram a alta quantidade de datas importantes fora.

O futebol praticado e o contexto da La Liga x Ligue 1

Pelo campeonato Espanhol teve seu pico de falta sofridas em média por temporada em 4,2 por jogo, já pelo Francês, seu máximo foi em 2017/2018 pelo clube parisiense: 5,2.

Porém, o contexto de futebol jogado em cada liga, nível técnico e tático de cada time, a Ligue 1 acaba sendo um futebol mais agressivo contra as suas grandes estrelas.

Além disso, Neymar no Barcelona era mais um ponta-esquerda do que o Playmaker que se tornou na França, aumentando seu campo de atuação, ficando mais exposto as faltas.

Outro ponto diferente entre os países que o “Menino Ney” atuou, é a forma como os próprios colegas de profissão tratam o brasileiro, que ainda segue sendo visto como “chorão, mergulhador” e etc, como o próprio técnico do Caen descreveu o jogador.

Neymar deixa de mergulhar e busca se manter em pé

Atualmente, Ney vem sendo um atleta que busca se manter firme, porém, nem sempre foi assim. Desde o início de sua carreira, no Santos, Seleção e Barcelona, Neymar buscou pular, se “jogar” (muitas vezes de maneira exagerada) visando evitar algum tipo de lesão grave.

O pico do “mergulho” do brasileiro foi na Copa do Mundo de 2018, onde foi um cúmulo de memes sobre suas excessivas quedas e rolamentos exagerados, tornando-se piada mundial. Talvez, tenha sido o momento que virou a chave para buscar uma nova maneira de atuar em relação as faltas.

Neymar Copa do Mundo 2018

Foto: Reprodução/Tenor GIf

A partir da temporada seguinte, Neymar se mostrou um jogador que não caia mais na 1º ou 2º pancada, porém ocasionou em males maiores que o mesmo imaginava.

Pois, o camisa 10 da seleção e do PSG, ao invés de ser firme e soltar a bola com mais inteligência, acabava prendendo o jogo, dribles muitas vezes inúteis que ocasioram algumas lesões, que tiraram de fases importantes pelo Paris Saint-Germain.

Mas, voltar a “pular” visando evitar lesões ou arriscar ficando em pé em cada entrada perigosa?

Neymar x Carnaval x Polêmica x Cuidado com o corpo

Em síntese, Neymar por coincidência teve lesões na época de Carnaval no Brasil ou aniversário da sua irmã, tornando-se uma das grandes brincadeiras em relação ao jogador. Em 4 anos em Paris, o jogador ficou de fora em 3 anos da fase final da UEFA Champions League, além disso pelo clube parisiense, foram 458 dias sem atuar, perdendo 79 partidas. Confrontos como Real Madrid, Manchester United e agora, Barcelona.

Neymar x Manchester United

Foto: Reprodução/ Twitter

Contudo, entra o cuidado com o próprio corpo, Neymar bebe, ama festa, curtir a vida como ele mesmo já deixou claro, porém, um jogador deste calibre, acaba perdendo muito da sua carreira por coisas que ele pode fazer após a aposentadoria que ao mais tardar, será aos 38 anos.

Ao contrário de outros atletas como Cristiano Ronaldo, Lionel Messi e Ibrahimovic que buscam ser atleta no seu nível máximo, Neymar acaba sendo um perfil atlético bem abaixo de outros grandes jogadores.

Apesar disso, Neymar é um craque, um dos maiores da década, porém algumas escolhas mal-feitas acabam acarretando todos esses problemas que atrapalham o jogador atingir o ápice da sua forma física e técnica. Porém, será que com quase 30 anos, esse panorama ainda pode mudar?

Para mais textos sobre futebol e contato: Vinicius Mota

 

 

 

 

 

Compartilhe esta publicação