Entre em contato conosco

Estadual

DEU AMÉRICA – 3 X 1 – POR MERECIMENTO

Publicado:

em

Compartilhe esta publicação

América 3 x 1 Cruzeiro, no Estádio Sete de Setembro, o Independência no bairro Horto na cidade de Belo Horizonte/MG, pelas semi-finais do Campeonato Mineiro, partida realizada as 16:00 hora do dia 09 de Maio de 2021. América com seu uniforme 02 (camisa Verde com detalhes escuro no tom do vede, calções pretos meões verdes com detalhes em preto, com o número dourado). Cruzeiro com uniforme 01(camisas, calção, meões branca, com número o dourado).

Aqui o Mineirinho sem papas na língua – Mais uma vez, vê a superioridade do time do América, melhor nos três confrontos contra o time do Cruzeiro, tecnicamente e taticamente, um plantel melhor, um grupo que tem muita união e montado há mais 02 anos, por um técnico que se não é um gênio, mas que também beira a loucura em suas ações.

Um Cruzeiro, melhor do que o do ano de 2020, mas que falta peças de reposição (jogadores) para determinadas posições, mas que já mostra um time mais bem treinado, que toma poucos gols, que vende caro uma derrota, mas que tem, erros primários na defesa, meio campo e com seus atacantes e que propõem o jogo e faz marcação alta.

No jogo de hoje, um Coelho (América) bem estruturado diferente do jogo anterior, apesar de usar os mesmos jogadores do inicio da partida anterior e um Cruzeiro que entrou pressionado e com a obrigação de fazer 02 gols para poder chegar a final do mineiro, um Cruzeiro que oscilou em quase todas as posições do campo, salvando apenas o Goleiro.

Jogo a Jogo

1° Tempo: O time do América entrou em campo com o posicionamento de seus homens de frente os Meias (09 Rodolfo, 08 Juninho, 11 Alê e 10 Bruno Nazário) diferente e surpreendendo o técnico do Cruzeiro, que não esperava estas mudanças e que utilizou de uma falta por volta dos 20’ minutos para certar o time do Cruzeiro, trazendo os dois atacantes que jogam mais aberto (07 Airton e 16 Bruno José) quando estando na defesa, fechando o meio campo, tentando conter a estratégica do técnico Lisca (América.).

O time do Cruzeiro precisou de seu N°. 01 Fábio que efetuou várias defesas fundamentais, que manteve o time no jogo, apesar dos erros capitais da defesa mal posicionada e com um jogador destoando o N°. 34 Weverton (zagueiro) que já tinha jogado muito nervoso e inseguro o jogo anterior e tendo mesmo comportamento no jogo de hoje.

Além de muitos erros de passes, uma oscilação de todos os setores do Cruzeiro, tendo um meio campo que marca mal, que não consegue articular e com muitas limitações, que foi amplamente dominado pelo quadrado dos Meias do América que deu um nó tático, que garantiu a supremacia do time do Coelho.

Em um destes erros bizarros em uma cobrança de escanteio pelo lado esquerdo do Cruzeiro, na movimentação de jogadores dentro da grande área o N°. 16 Bruno José usando de seus membros superiores (mãos e braço) tentou segurar o N°. 03 Eduardo Bauermann e jogou no chão e o Árbitro José Fernandes de Lima não teve dúvida e apontou para a cal (pênalti), que foi acompanhado de VAR (sistema que orienta árbitros por vídeo).

Então aos 48’ minutos o N.09 Rodolfo (atacante) cobrou com perfeição deslocando o goleiro do Cruzeiro e GOL, América 1 x 0 Cruzeiro, placar do primeiro tempo da partida.

2° Tempo: O técnico do Cruzeiro iniciou efetuada sua primeira mudança no time, substituindo o N°. 23 Rômulo (meio campo), entrando N°. 29 Guilherme Bissoli (atacante) aos 49’minutos, que melhorou o posicionamento do time, que passou há atacar, mas após os 58’ minutos o time do América acertou seu posicionamento e equilibrou a partida.

Contudo, em uma jogada efetuada pela lateral direita de defesa do time do América, aos 66’ minutos o N°. 06 Matheus Pereira (lateral esquerdo), Cruzou com perfeição para dentro da pequena área e encontrou o N. 14 Matheus Barboza (meio campo) que teve o trabalho de deslocar o goleiro do time do América e GOL, América 1 x 1 Cruzeiro.

Em conseqüência ao tento marcado pelo Cruzeiro (gol), o time foi todo para o ataque, e em uns desde momentos após a cobrança de um escanteio batido pela lateral direita de defesa do time do América, quando da defesa tirou a bola da pequena área, a bola encontrou o N°. 16 Bruno José (atacante pela lateral) na cabeça da grande área que disparou um chute forte, obrigando o N°. 01 Matheus Cavichioli (goleiro) a praticar uma defesa importantíssima.

A partir daí o time do Cruzeiro se perdeu na partida, pois as substituições feitas por ambas às equipes, mais uma vez, favoreceram o plantel do time do América, que por volta dos 72’minutos em uma troca de passes bem articulada pelos atacantes dentro da grande área de defesa do time do Cruzeiro em uma bola chutada em direção ao gol.

Bola esta que pegou no N°. 04 Ramón (zagueiro), que ao dar um carrinho dentro da grande área do Cruzeiro, encontrava-se com o braço estendido para cima, aonde a bola veio a bater, obrigando ao VAR (sistema que orienta árbitros por vídeo), a confirmar a penalidade.

Após uma conferencia entre atacantes os N°. 17 Ribamar e o N°. 09 Rodolfo que pego a bola e se deslocou para marca da cal, posicionando a bola na marcação e cobrando sem dar chance para o goleiro do Cruzeiro, que foi buscar a bola no fundo das redes, América 2 x 1 Cruzeiro.

Perdendo por este placar só restava o time do Cruzeiro a atacar, e se expor, já no final da partida e nos acréscimos, o time do América saiu no contra ataque, deixando quase todo o time do Cruzeiro em seu campo de ataque, puxada de N°. 18 Ademir deixou seu companheiro de time o N°. 23 Ramon que bateu na saída do goleiro do Cruzeiro e que nada pode fazer, GOL, América 3 x 1 Cruzeiro dando números finais a partida.

Curiosidades:

  • O time a América não ganha do Cruzeiro 03 (três) Clássicos seguidos desde 1949, a ultima vez que realizou esta façanha;
  • Já time do Cruzeiro entrou com a Camisa branca com detalhes em dourado, em alusão ao aniversário de 100 anos de fundação do Clube;
  • O América foi o primeiro time a ser fundado por um Negro de Nome de Geraldino de Carvalho estava entre os jovens que fundaram o clube em 1912.
  • O maior orgulho do América em sua história é o de ser o primeiro time decacampeão do mundo. Entre 1916 e 1925, não teve pra ninguém em Minas Gerais: o Coelho faturou dez títulos em seqüência no Campeonato Mineiro. A marca só foi igualada no Brasil pelo ABC, que entre 1932 e 1941 venceu dez vezes o estadual do Rio Grande do Norte.

Ficha Técnica:

América: 01 Matheus Cavichioli, 02 Diego Ferreira, 04 Anderson, 03 Eduardo Bauermann, 06 João Paulo, 05 Zé Ricardo, 08 Juninho, 11 Alé, 10 Bruno Nazário, 09 Rodolfo, técnico Lisca – 4-1-2-3.

Substituições: 61’minutos 19 Ribamar, 62’ minutos 23 Ramon Rodrigo, 79’ minutos 18 Ademir, 90’ minutos 16 Carlos Eduardo e 15 Juninho.

Cruzeiro: 01 Fábio, 02 Raúl Cáceres, 04 Ramón, 34 Weverton, 06 Matheus Pereira, 15 Adriano, 17 Matheus Barbosa, 27 Rômulo, 16 Bruno José, 07 Airton, 10 Rafael Sóbis, técnico Felipe Conceição – 4-1-2-3

Substituições: 49’minutos 29 Guilherme Bissoli, 77’ minutos 19 Stênio Matheus e 95 Marcinho, 88’ minutos 22 Felipe Augusto e 49 Claudinho.

Considerações Finais:

O time da Toca da Raposa o Cruzeiro, creio eu, que chegou ao seu limite, que é um time e segunda divisão, que foi superado por um time melhor, que teve melhoras de todos os sentidos, entretanto, não esta pronto devido ao pouco tempo de trabalho de seu novo comandante e lhe falta jogadores em várias posições do time.

Caiu tentando fazer o seu melhor, mas ainda limitado, ao um banco de reservas que não dá muitas opções de mudança de tática e com jogadores menos experientes e qualidade inferior ao time do América, que tem um banco com jogadores mais tarimbados e melhor qualidade técnica.

O Time do América muito bem montado e postado na partida, que usa como ninguém seu banco de reserva, que tem um grupo consolidado desde ano de 2020 e que tem um louco e gênio no seu banco de reserva, um técnico que mostrou saber tudo sobre tática e técnica, que não tem medo de mudar a estrutura de jogo se assim precisar.

Para finalizar, o time do Cruzeiro deve agora votar-se para Copa Brasil, e o América vai jogar a grande final do Mineiro contra o time do Atlético, no próximo domingo, com mando de campo a ser definido pela Confederação Mineira de Futebol.

Compartilhe esta publicação
Clique para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *