Entre em contato conosco

Estadual

Corinthians e Palmeiras em igualdade no primeiro jogo da final.

Publicado:

em

Corinthians x Palmeiras pela primeira partida da final. Foto: Marcos Ribolli - Globoesporte.

Sobrou vontade, faltou bola… primeiro jogo da final do Campeonato Paulista não saiu do zero.

Compartilhe esta publicação

Após exatos 15 dias da volta do futebol paulista, em que Corinthians e Palmeiras estiveram em campo para a 11ª rodada da primeira fase, Alvinegros e Alviverdes novamente frente a frente, desta vez para a grande final do campeonato. Se por um lado sobrou vontade, garra, raça, determinação… Por outro faltou criatividade e futebol bem jogado de ambas as partes. O Corinthians, dono da casa, se viu preso em uma forte marcação imposta pelo time de Vanderlei Luxemburgo. O Verdão por sua vez parecia “engessado” e sem qualquer movimentação que pudesse ludibriar o também forte sistema de Tiago Nunes. Com isso, o que se viu do lado verde, foram muitas bolas alçadas na área e jogadas pelas pontas que não surtiam efeito.

 

Escalações:

 

Corinthians: Cássio, Fagner, Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto; Gabriel, Ederson (Víctor Cantillo) e Ramiro; Luan (Ángelo Araos), Mateus Vital (Léo Natel) e Jô.

Técnico: Tiago Nunes.

 

Palmeiras: Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino (Raphael Veiga) e Ramires (Bruno Henrique);  Zé Rafael (Gustavo Scarpa), Rony (Iván Angulo) e Luiz Adriano (Willian).

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

 

Primeiro tempo.

Para quem esperava um jogo de correria, diversas chances e gols, ficou a frustração, pois nada disso aconteceu, o que se viu foi um jogo muito truncado na intermediária e de muita disputa, porém com pouca inspiração. O primeiro lance que poderia levar perigo veio aos 12 minutos em falta cobrada por Patrick de Paula, mas na tentativa de abrir o placar, o que se viu foi o camisa 5 palmeirense acertar Luiz Adriano, companheiro de time. O Corinthians por sua vez teve chance muito boa de abrir o placar aos 27 minutos, quando Luan, de forma brilhante encontrou Ramiro infiltrando na defesa Palmeirense, porém o volante Corinthiano não pegou tão firme quanto queria na bola, e viu Weverton fazer a defesa.

Mais uma vez o Corinthians chegou com perigo, aos 30 minutos de partida, com Luan cruzando para Jô, que não conseguiu dominar, mas a bola sobrou pra Mateus Vital que bateu de primeira e viu Weverton se esticar todo para executar a defesa e mandar a bola pela linha de fundo.

O Palmeiras respondeu a boa investida Corinthiana no ataque, com uma jogada de perigo aos 36 minutos. Em escanteio fechado, a bola cruzou toda a área sem ninguém para conferir e abrir o marcador.

 

Final de primeiro tempo quente.

 

O final da primeira etapa esquentou, mas não por lances bonitos e chances de gol, e sim por discussões e confusões. Em um primeiro momento, discussão em torno de uma reposição de bola. O Corinthians trocou passes errados e acabou mandando a bola para lateral. Marcos Rocha queria cobrar rápido, porém não teve outra bola entregue pelo gandula, e teve que buscar uma que estava junto ao banco do Corinthians. As câmeras da partida não mostraram, porém a reclamação dos Palmeirenses era de que o zagueiro reserva do Corinthians, Bruno Méndez teria segurado a bola para retardar a reposição da mesma, que estava no ataque Alviverde. O árbitro Raphael Claus chamou os treinadores da duas equipes para um papo muito rápido, resolvendo assim o imbróglio.

Três minutos depois, o que era apenas uma faísca, acabou pegando fogo. Rony fez falta em Mateus Vital na defesa do Timão, e os dois se estranharam, Luan e Carlos Augusto chegaram de “xerifes” empurrando o camisa 11 do Palmeiras. No meio da confusão também se viu discussão acalorada entre Luiz Adriano e Cássio. No final das contas, Rony e Vital levaram cartão amarelo. Depois de muita confusão e jogo chegando ao fim da sua primeira etapa, o Palmeiras ainda teve a sua última chance com Ramires, que chutou por cima do gol de Cássio.

Ânimos exaltados na primeira final do Derby. Foto: Reprodução Twitter @Mabragatchelo.

Ânimos exaltados na primeira final do Derby. Foto: Reprodução Twitter @Mabragatchelo.

Segundo tempo.

 

O Palmeiras voltou com duas substituições para o início da etapa final. Ramires e Luiz Adriano saíram para as entradas de Bruno Henrique e Willian respectivamente. O Corinthians por sua vez, voltou com a mesma equipe que disputou a primeira etapa.

 

VAR.

 

Aos 9 minutos da etapa final, o árbitro Raphael Claus chamou os capitães Cássio e Weverton para avisar que havia perdido a conexão com o árbitro de vídeo que estava na Federação, e que o comando do VAR estaria agora com um árbitro presente na Arena Corinthians. Minutos depois, a conexão foi restabelecida.

Jogo continuou disputado, porém com pouca inspiração.

Se o primeiro tempo foi truncado, o segundo não deixou a desejar nesse quesito. O Corinthians foi encurralado pelo seu rival nos primeiros minutos da segunda etapa, e tentava transições diretas entre a defesa e o ataque, pois a forte marcação alta do Palmeiras impedia as saídas de bola de forma trabalhada.

Aos 23 minutos, um lance perigoso. Fagner recuou a bola de forma perigosa pra Danilo Avelar, que dominou mal e viu Rony tomar a posse de bola, o zagueiro Corinthiano botou o braço na bola para impedir uma jogada promissora do Palmeiras, e recebeu cartão amarelo. Na cobrança da falta, Bruno Henrique chutou e viu Cássio defender sem fazer grande esforço.

Após isso, o que vimos foi exatamente o que aconteceu durante todo jogo, faltas, chutões e pouca inspiração para quebrar as linhas de defesa adversária. O medo de perder parecia maior que a vontade de ganhar para as duas equipes. Ficou tudo para se decidir no sábado, quando o Palmeiras receberá o Corinthians, e assim saberemos que vai levantar a taça de campeão Paulista de 2020.

 

Drone (de novo).

 

Mais uma vez, um drone sobrevoou a Arena Corinthians durante a partida, assim como no Derby do dia 22 de julho, e mais uma vez o equipamento trazia uma provocação aos Palmeirenses, recordando o dia 08/04/2018, quando o Corinthians se sagrou campeão Paulista do ano na casa do Palestra. Desta vez a partida não foi paralisada, como no último clássico.

Mais uma vez, um drone sobrevoou a Arena Corinthians durante a partida. Foto: Marcos Ribolli - Globoesporte.

Mais uma vez, um drone sobrevoou a Arena Corinthians durante a partida. Foto: Marcos Ribolli – Globoesporte.

 

Novidades em ambas as equipes.

 

Pelo lado Corinthiano, um “velho reforço”… O volante colombiano Víctor Cantillo voltou a atuar pelo Timão, ele não fazia uma partida desde março. O camisa 24 foi detectado com o novo coronavírus poucos dias antes do retorno do Campeonato Paulista, tendo que manter medidas de isolamento. Após isso, fez trabalhos de transição para voltar a ser relacionado.

Víctor Cantillo voltou a campo após mais de 4 meses sem jogar. O colombiano foi um dos atletas da equipe Corinthiana a contrair o vírus da Covid-19. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians.

Víctor Cantillo voltou a campo após mais de 4 meses sem jogar. O colombiano foi um dos atletas da equipe Corinthiana a contrair o vírus da Covid-19. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians.

Pelo lado Palmeirense, esta sim uma estréia, e de um compatriota do volante do Corinthians. Trata-se de Iván Angulo, atacante que foi comprado junto ao Envigado (COL) para compor a base do Verdão. Com idade já acima para a base, foi repassado ao Cruzeiro, porém com pouco tempo, o Palestra se viu carente de opções para o ataque e pediu a volta do jogador, que foi integrado ao elenco profissional.

 

Ficha técnica.

Corinthians 0x0 Palmeiras.

 

Data: 05/08/2020 (Quarta-feira).

Horário: 21:30 Hrs (de Brasília).

Local: Arena Corinthians (SP).

Árbitro: Raphael Claus.

Auxiliares: Neuza Ines Back e Daniel Paulo Ziolli.

Quarto Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo.

VAR: Thiago Duarte Peixoto.

Compartilhe esta publicação
Clique para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.